tv retirantes – ENTREVISTA COM UM CARIOCA DA GEMA DO OVO, PAUL GOODMAN

ENTREVISTA COM UM CARIOCA DA GEMA DO OVO, PAUL GOODMAN

A TV Retirantes, dentro do seu propósito de prestar utilidade pública, principalmente aos que, de alguma forma, mantiveram contato com a seita maranata, traz hoje com exclusividade uma entrevista feita com nada mais, nada menos, que PAUL GOODMAN, ex-pastor da maranata, que esteve à frente de várias igrejas, tanto no Brasil, quanto no exterior, mais precisamente nos Estados Unidos e Canadá.

O jornalista Alandati, aproveitando a oportunidade, formulou diversas perguntas, que por certo poderiam estar na cabeça dos irmãos, a respeito da saída de pastores, que por anos defenderam a “obra”, e por algum motivo, decidiram deixar os domínios do palácio da rainha desfigurada, ao que, o querido pastor (porque não deixou de ser, só porque saiu, enquanto teve um chamado de Deus), Paul Goodman, com carinho e atenção, respondeu de forma criteriosa.

O presente esclarecimento se faz necessário, exatamente porque todos nós, retirantes, e principalmente os pastores, ouvem as acusações dos formatados icemitas, de que estariam “despregando tudo que pregaram”, “cuspindo no prato que comeram”, “se saíram é porque nunca foram da obra”, e outras esparrelas do gênero, ainda como essa, específica para pastores, que “estariam largando as ovelhas”, etc.

Vamos para o conteúdo da entrevista, que é apresentado sem cortes, para ser mais um subsídio a todos que ainda não têm noção do que a seita maranata pode ter representado na vida de cada um, no sentido mais negativo possível.

Segue a entrevista:

Alandati – Seu nome é de origem inglesa. O senhor não é brasileiro?

Paul Goodman – Meu pai é Americano. Por isso, tenho dupla cidadania (Brasileira e Americana). Mas nasci e fui criado no Rio de Janeiro.  Sou Carioca da gema do ovo.

Alandati – Fale-nos um pouco da tua trajetória como cristão, conversão e congregações que participou.

Paul Goodman – Eu me converti aos 19 anos de idade, através do testemunho de um colega de quartel, da Assembléia de Deus, quando eu era soldado do antigo Batalhão de Guardas do Imperador, em São Cristovão, no ano de 1982. Como esse colega morava longe,  comecei a frequentar a ICM de Copacabana, onde morava. Em 84, fui levantado a diácono (solteiro) aos 21 anos de idade.

Alandati – Quando foi ordenado pastor, e em quais igrejas atuou?

Paul Goodman –  Fui ordenado em 2005. No Brasil, passei por Copacabana, Itanhangá (Barra da Tijuca) e Tinguí (Campo Grande). Depois mudei para o estado de Massachusetts, nos EUA., onde tive passagem pelas igrejas de Marlboro, Lowell, Everett, Peabody, Rochester (N.Y.)  e Newark, em Nova Jersey.

Alandati – Detalhe a sua atuação como pastor nas denominações que participou (se ocorreu), e na ICM-PES.

Paul Goodman – Eu fui pastor somente na ICM.

Alandati – O que o levou a sair da Maranata?

Paul Goodman –  Quando fiquei sabendo do escandalo, em Outubro de 2011, eu ainda morava nos EUA, mas já estava de viagem marcada para voltar ao Brasil em Dezembro.  Na ocasião, eu era o pastor de cinco igrejas em Massachusetts e, numa delas, Everett, o diácono me ligou querendo informações sobre o Antonio Angelo, pois as ovelhas estavam em polvorosa, devido aos e-mails espalhados pela Internet sobre desvios de conduta dentro do PES. Imediatamente, procurei me informar. Mas, como tudo era muito recente, percebi que havia resistência e hesitação para se falar sobre esse assunto. Entretanto, Dezembro chegou e eu mudei-me para o Brasil, conforme havia programado.  Fui morar, temporáriamente, na casa da minha sogra, em Nova Iguaçú, RJ. Aproveitei esse período de transição para buscar mais informações sobre as denúncias que haviam circulado pela Internet. Tive acesso  ao P.A,.  e um dos itens que mais me chamou a atenção foi o fato do PES  estar, há quatro anos, sem contabilidade. Os relatos descritos no P.A., apontavam para irregularidades gravíssimas; e, uma gestão de ética duvidosa. O PES admitiu os desvios de recursos financeiros , mas manteve a política da falta de transparência, o que, na minha opinião, colocou em xeque a crediblidade do PES. Como eu já vinha expressando a minha insatisfação sobre o assunto, fui  chamado por Gedelti  para ir à Vila Velha a fim de reunir com ele e todo o Conselho Presbiterial. Isso ocorreu em Março de 2012, no Maanaim de Domingos Martins. Quando entrei no gabinete de Gedelti, todos os pastores, do novo e do velho conselho presbiteral, estavam presentes. Gedelti falou um pouco sobre o meu trabalho nos EUA, etc. Mas quase todos ali já me conheciam. Eles oraram por mim e depois Gedelti dispensou a todos. O Jairo ainda permaneceu um pouco mas acho que se cansou e acabou indo embora também. Ficou só Gedelti e eu no gabinete. Mas, nossa conversa se limitou às questões administrativas do PES. Eu disse a Gedelti que havia lido o P.A., que não compreendia porque o PES ficou quatro anos sem contabilidade e que ele precisava de estabelecer um Conselho Fiscal na gestão do PES. Mas ele passou a maior parte do tempo falando do Mário Morais, como se tudo tivesse sido culpa dele. Eu já sabia que iria ouvir esse discurso, mas fiz questão de ir pessoalmente até Gedelti e olhar olho no olho. Ouvir da sua própria boca o que ele tinha a dizer sobre tudo aquilo e, se ele seria capaz de mudar a minha opinião sobre o assunto. Não adiantou. Nem as aulas do Maanaim tiveram efeito sobre mim naquele final de semana. Quando voltei para casa, vi a foto de Gedelti estampada no jornal da Gazeta. A reportagem, daquele Domingo, informou que as investigações haviam chegado até o presidente da Maranata. Segunda-feira, houve outra repotagem com Gedelti, também na Gazeta. Na Terça, 12/03/12, enviei minha carta de desligamento da ICM.

Alandati – O senhor acha que a ICM-PES é uma seita? Justifique.

Paul Goodman – Durante os 29 anos em que passei dentro da ICM (praticamente toda a minha vida adulta) eu jamais pensei que fosse um dia sair de lá. Mas, o escândalo serviu para abrir os meus olhos. As igrejas neo-pentecostais (aquelas que surgiram durante os anos 60 e 70 no Brasil) apresentam alguns padrões em comum. Elas têm protagonizado os maiores escândalos no meio evangélico. Eu não quero generalizar, mas os escândalos que chegam à mídia, não vêm da Batista, Presbiteriana, Congregacional, etc. Primeiro, porque são igrejas centenárias que não têm um dono. Na minha igreja atual, ninguém sabe qual é o nome do presidente. Segundo, quando ocorre um escândalo, ele é de ordem pontual, o que pode acontecer em qualquer igreja. Mas, na ICM, a utilização de um Caixa Único proporcionou um mega-escândalo envolvendo milhões de Reais. Isso é muito sério. A partir dessas evidências, que antes não tínhamos, qualquer um pode rememorar a forma de atuação da Maranata, auto se denominando como “obra filho único”, sectarista em relação aos irmãos de outras denominações, aplicando táticas de monitoramento dos seguidores, que não têm de fato liberdade para agirem, embora pensem que tenham, e além disso tudo, apelam por um entendimento único em todos, que se distingue de qualquer outro entendimento, comum aos lavados e remidos pelo sangue de Jesus, e que estariam fazendo parte também da Obra de Deus. A meu ver, os escândalos serviram para evidenciar o que a denominação ocultava, e o desfecho tem sido idêntico a todas as seitas na história das igrejas, principalmente ditas pentecostais, que abrem margem para abusos maiores, da fé do cristão, e tudo em nome supostamente de Deus.

Alandati – Se o senhor era um pastor amável, porque prefere postar no blog do Cavaleiro Veloz a ficar em silêncio? Como defende essa posição, principalmente diante das tuas ovelhas, da maranata?

Paul Goodman – Desde que começou toda essa história de escândalo eu adotei a política de falar abertamente sobre o tema. Eu nunca fiquei em silêncio e nunca fui omisso. Não quer dizer que eu seja melhor ou pior do que ninguém. Mas um pouco de capacidade de observação e o mínimo de raciocínio lógico fizeram-me concluir que havia coerência nos artigos do BLOG do CV.  Havia uma tendência de querer demonizar o BLOG do CV dentro da ICM, obviamente. Mas percebi  logo que os artigos do CV tinham fundamento.  Não era algo sem pé nem cabeça. Pelo contrário, as informações eram pertinentes e precisas. O PES falhou sistematicamente ao se recusar a prestar contas à membresia e não adotar uma postura de transparência em momento algum. Isso comprometeu mais ainda a imagem do PES. Na minha opinião, Gedelti não soube lidar com a situação de forma aberta e transparente. Gedelti foi avisado, mas não quis dar ouvidos a ninguém. Ele não dava espaço para conselhos que promoviam a transparência e a prestação de serviço. A impressão que eu tive foi que ele queria continuar fazendo tudo do jeito que ele sempre fez, sem dar satisfação pra ninguém sobre os atos do PES. Ora, o pastor que quer estar à frente de um rebanho, precisa ser, acima de tudo, transparente. Sem transparência não existe confiança. A situação exigia uma mudança de postura, mas infelizmente isso não aconteceu e a ICM acabou virando caso de polícia.

Alandati – O senhor está congregando atualmente em algum lugar? O que acharia dos irmãos que definiram por se reunir nos lares?

Paul Goodman – Eu estou muito feliz na Igreja Presbiteriana do Brasil, Recreio. Ironicamente, eu hoje frequento a mesma igreja que Gedelti frequentou antes de criar a ICM. A Presbiteriana não foi a minha primeira opção de escolha.  Minha esposa foi a primeira a se identificar com a igreja. Meus filhos se adaptaram muito bem e hoje estão bem integrados. Um deles, de oito anos, já disse que quer ser presbiteriano quando crescer. Também começamos um trabalho de célula com um pequeno grupo da igreja que se reúne em casa durante um dia da semana, para louvar, meditar na Palavra e estreitar a comunhão com os irmãos.  Tem sido uma experiência muito gratificante e que complementa a nossa ida ao Templo.

Alandati – É interessante que a IPB é tradicional, primando mais pelo estudo puro da Palavra, e portanto totalmente diferente de todos os alegorismos exagerados e perigosos, praticados na maranata. Outra curiosamente, destacada pelo pastor, é que parece, ao menos para o teu caso, e para muitos retirantes, que teria sido necessário retornar ao bom e velho tradicionalismo, com estudos interpretativos e profundos das Escrituras Sagradas. Nós abordamos o assunto aqui, por meio do artigo que usa uma aula do Rev. Augustus Nicodemus, que por sinal é da IPB, sobre o método gramático-histórico de interpretação bíblica. Vejam em http://diganaoaseita.wordpress.com/2012/11/13/a-interpretacao-pelo-metodo-gramatico-historico/

O que pensa a respeito do curso de teologia?

Paul Goodman – Hoje, eu lamento não ter podido estudar Teologia. Amadeu costumava dizer que a melhor mensagem era a da ICM, porque era revelada. Bem, eu tenho ouvido muitas mensagens maravilhosas, profundas e com muito mais conteúdo bíblico. As heresias e o falso ensino não costumam brotar em ambientes com forte conhecimento Teológico das Escrituras. Isso por si só, já é uma grande vantagem pra quem se dispõe a estudar as Escrituras de forma mais sistemática. A bíblia já é a Revelação de Deus.

Alandati – Poderia tentar explicar o que de fato ocorreu com ICM-PES, para chegar ao ponto em que se encontra hoje? Seria embrionariamente uma seita, ou começou bem e depois se perdeu? Em caso desta segunda hipótese, o que marcou esse desvio?

Paul Goodman – Eu acho que para entender o que aconteceu com a ICM, você precisa conhecer a história dela desde o início e, o que aconteceu na igreja Presbiteriana de Vila Velha quando houve a cisão. Gedelti era um diácono naquela igreja e jamais  conseguiria introduzir a doutrina da ICM em um ambiente marcado pela Teologia dos Reformadores. Além disso, a ICM se beneficiou de um momento (anos 60 e 70) em que movimentos Carismáticos ganhavam força em todo o mundo. O foco passou a ser a experiência subjetiva e não o conhecimento simples e objetivo das Escrituras. Isso acabou abrindo espaço para muitos ensinos sem o respaldo das Escrituras. Além disso, Gedelti criou um hierarquia centralizada na sua pessoa e se estabeleceu como líder supremo da Maranata (uma das principais características, dentre outras, de Seitas).

Alandati – Sempre ouvimos muitas vezes, na maranata, sobre a “obra no exterior”. Considerando a trajetória do irmão, exatamente no exterior, o que poderia nos dar de informação sobre a ICM-PES, em relação a número de templos, quantidade de membros, e centralização de orientações, e recursos?

Paul Goodman – Os seminários feitos na região de Boston tinham um pouco mais de mil participantes, normalmente. Eles eram realizados uma ou duas vezes por ano. Esse grupo representa basicamente as igrejas da área. Há outras igrejas na Florida, na cidade de Newark, na área de Washington D.C., e alguns outros pontos dos EUA e Canada, mas nada expressivo. O grupo maior está em Massachusetts, onde existe uma colônia grande de Brasileiros (aproximadamente 500 mil brasileiros, a grande maioria de Minas Gerais).

Alandati – O que poderia prever, com olhar de pastor, sobre o futuro da maranta, principalmente no referencial dos membros?

Paul Goodman – Gedelti é removido do seu posto de líder supremo,  alguns dos principais líderes Maranata estão presos, a maioria dos pastores permanece acuado e omisso, doutrina em xeque, debandada de membros Brasil afora, queda de dízimos, PES-ICM sem comando, não é um quadro favorável. Disputas internas em potencial, não estão descartadas no curto e médio prazo. GG não preparou um sucessor para a ICM, e nem preparou a ICM para um sucessor.

Alandati – Quais os conselhos que o senhor gostaria de deixar para os cristãos, de um modo geral, para se prevenirem das seitas?

Paul Goodman – Conhecer as cinco solas da Reforma Protestante é fundamental e um excelente ponto de partida. Entretanto, o principal é o retorno às Escrituras.

Alandati – Quais os conselhos o senhor daria para alguém que esteja extremamente apaixonado pela “obra” (apelido da ICM-PES), parecendo amar mais a mesma do que o próprio Senhor Jesus?

Paul Goodman – Eu sofri desse mal durante muitos anos. Completei um ano, como retirante, em Março. Estou dando os meus primeiros passos como tal. Hoje, eu me sinto mais à vontade para falar da minha experiência lá dentro, mas tudo isso ainda tem um custo emocional para mim. Afinal de contas foram quase 30 anos lá dentro, vivendo intensamente toda a experiência proposta pela ICM. Mas entendo que tudo isso seja parte de um processo em que Deus está trabalhando na minha vida, e na de tantos outros, para despertarmos de um sono profundo e aprendermos a confiar mais em Deus e na Sua Palavra.

Alandati – Bem, pastor Goodman, sem sombra de dúvidas, as suas informações são muito importantes para nós todos, seja retirante ou ficante, mas como sabe, aqui no espaço diga não àSeita, nós costumamos levar as coisas, por vezes, com um viés humorístico, acreditando que assim os traumas pós-icemíticos possam ser mais facilmente superados.

Diante disso, não poderíamos de, com todo o respeito, devido ao seu nome ser uma justaposição de duas palavras inglesas, quais sejam, GOOD – BOM, e MAN – HOMEM, nós nos arriscamos em traduzir o nome, não ao pé da letra, mas de acordo com o “feeling” (sentimento) das coisas. O teu nome então ficou assim: PAULO GENTE BOA! Gostou?

E, em nome da TV Retirantes, gostaríamos de deixar um presente, algo muito próximo dos capixabas, mas que vamos anunciar em inglês: Uma caixa de GOODGOODBOY. Sabe o que é?

Isso mesmo: GOOD – BOM, GOODGOOD – BOMBOM, e BOY – GAROTO! Ofertamos uma caixa então de bombom Garoto para adoçar um pouco a vida do irmão e da família, após todo esse amargo vivido dentro da “obra” maranática.

Além disso, escolhemos a figura simpática do Zé Carioca, que tem ascendentes norte-americanos, mas também é carioca da gema, ou seja, nesse aspecto, bem similar ao amado pastor.

Desculpa as brincadeiras, mas aceite as nossas cordiais saudações, e agradecemos pela tua presença aqui na TV Retirantes. Fique à vontade para usar esse espaço, pois ele é nosso!

Paul Goodman – Eu é que agradeço, Alandati, a oportunidade que me foi dada, para esclarecer alguns pontos importantes sobre a minha trajetória na ICM, e gostaria de reforçar que o trabalho de vocês tem sido de grande relevância, pois tem contribuído bastante para desmistificar a ICM, sobretudo usando humor (rs rs). Que Deus abençoe a todos!

Terminamos aqui então mais um trabalho da TV Retirantes, e nos despedimos de todos com a Graça e a Paz do Senhor Deus!

Até a próxima…

TV Retirantes.

fonte: http://diganaoaseita.wordpress.com/2013/07/22/entrevista-com-um-carioca-da-gema-do-ovo-paul-goodman/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s